Como manter uma agenda positiva

Como manter uma agenda positiva

Todo empreendedor sonha em construir um negócio disruptivo. Mas entre a visão e a realidade, como construir uma agenda que o leve de um lado ao outro?

A construção civil é uma das indústrias que menos mudou nas últimas décadas. O jeito de construir casas e apartamentos no mundo permaneceu praticamente o mesmo, com algumas inovações incrementais, mas sem um movimento de modernização dos processos e o uso de tecnologias disruptivas na cadeia de produção. Em contraste a isso, esse é um dos setores de maior impacto na economia e no uso de recursos naturais.

UMA PESQUISA DO BOSTON CONSULTING GROUP MOSTROU, POR EXEMPLO, QUE UM AUMENTO DE APENAS 1% NA PRODUTIVIDADE DA CONSTRUÇÃO CIVIL PODERIA ECONOMIZAR EM UMA ESCALA GLOBAL ATÉ US$ 100 BILHÕES

Quando observamos as infinitas possibilidades de inovação na construção civil, que vão de novos materiais, processos, ferramentas e tecnologias até diferentes modelos de negócio, uma série de novas oportunidades podem vir à cabeça. Hoje, criar um negócio nessa área pode até parecer óbvio, diante do crescente número de estudos de consultorias globais sobre os problemas e as projeções de crescimento do setor. Mas, quatro anos atrás, nada disso existia.

EM 2013, TUDO ISSO ERA APENAS UMA VISÃO
Eu vinha do mercado automobilístico, no qual a cadeia de fornecedores atua com níveis altíssimos de qualidade e tecnologia super avançada e comecei a enxergar na construção civil uma oportunidade de criar uma plataforma de alta tecnologia para desenvolver produtos que chegassem prontos no canteiro de obra para as construtoras. Comecei a visitar algumas obras e percebi alto índice de desperdício de materiais e mão de obra desorganizada, que culminava em atrasos na entrega e problemas de qualidade e padronização.

Com o objetivo de nos posicionar neste grande oceano azul e criar uma estrutura baseada em Engenharia de Processos e Inovação de Produtos para neste solucionar esse gargalo, nasceu a AMBAR.

A GRANDE SACADA FOI CONSEGUIR ENXERGAR ESSA OPORTUNIDADE QUANDO NINGUÉM AINDA FALAVA SOBRE ELA
Na prática, estar à frente de um negócio disruptivo é extremamente desafiador. Não existem histórico, referências externas, benchmarks ou jeitos de fazer que já foram comprovados. Tudo começa do zero. Nesse caminho, dizem que a confiança do empreendedor precisa ser inabalável, tanto para continuar acreditando na própria visão quanto para inspirar o time a dar vida ao que antes não passava de um sonho.

Porém — quem empreende, sabe — essa confiança não é de aço. O que existe no lugar dela é um compromisso pessoal de construir uma agenda positiva para que, dia a dia, esse sonho passe a se materializar em um negócio.
Cada empreendedor tem o seu próprio ritual, mas gostaria de compartilhar com você o que tem sido minha rotina nos últimos anos para manter o sonho da AMBAR vivo — antes mesmo do mundo despertar para ele.

Sua agenda reflete as prioridades
Inicialmente, criávamos um plano de metas e conquistas para o ano, que determinava as prioridades que nos levariam para um próximo patamar doze meses depois. Recentemente, começamos a experimentar uma visão de 100 dias, que desdobra o que já está definido na meta em ações de médio prazo. Assim, todo domingo à noite, quando vou construir minha agenda da semana, listo as ações que estão diretamente relacionadas àquelas prioridades dos 100 dias.

É assim mesmo que acontece. Todas as prioridades ficam impressas em uma folha e guardadas em uma pastinha que carrego sempre comigo para não esquecer os passos que precisamos dar para chegar aos objetivos ali listados.

Um exemplo que posso dar é o que tem acontecido nesse sprint de 100 dias da AMBAR, que termina no final de junho. Entre os objetivos do período, temos a necessidade de criar áreas de Marketing e Vendas 2.0, já operando na potência máxima até lá. Para isso, toda semana sei que tenho atividades próprias que não posso deixar de lado para que isso aconteça no tempo previsto. Se passo mais que duas semanas sem uma ação relacionada a esse objetivo, preciso rever minhas prioridades e entender onde mais tenho gasto minha energia e meu tempo.

Esse ritual me ajuda a quebrar sonhos grandes de longo prazo, em metas, objetivos e ações — entendendo o que precisa ser feito hoje para construirmos a empresa que tanto sonhamos amanhã.

Acredito muito naquela frase que diz:
PRA QUEM NÃO SABE AONDE VAI, NENHUM VENTO É FAVORÁVEL

Por isso, se você tem uma agenda ativa que reflete o caminho que a organização escolheu seguir, começa a privilegiar ações que constroem valor. Os eventuais riscos do negócio passam a ficar menores porque você gasta mais tempo em atividades positivas do que tentando remediar problemas e imprevistos. É claro que eles continuam acontecendo, mas em um volume menor.

Os incêndios que tanto estamos acostumados a apagar são verdadeiros sugadores de confiança do empreendedor. Se a sua rotina é pautada por eles, isso afeta sua relação com seus clientes, a confiança na reunião com investidores e até a disciplina para lidar com o que é urgente, sem esquecer do que é importante.

Ser pioneiro — e se manter em primeiro
Na construção civil, estamos sentindo um movimento mais forte nos últimos meses de despertar do mercado para as oportunidades do setor. Como se a pauta começasse a ganhar holofotes, temos visto novos negócios ao redor do mundo surgindo em uma velocidade rápida e com modelos que tangenciam o nosso. É por isso que a agilidade de disrupção da AMBAR e o aprendizado com nossos erros têm que ser ainda maior e o que tem feito com que a companhia se torne cada vez mais uma plataforma de tecnologia para construção.

Neste artigo, Steve Blank comenta sobre uma pesquisa realizada em 1993, que indica que quase metade dos pioneiros de um mercado — aqueles que foram os primeiros a enxergar a oportunidade — falharam. Isso porque os erros que eles cometeram serviram de aprendizado para quem vinha logo atrás, que passou a entregar uma solução mais rápida e com melhor execução a partir da experiência deles.

Nesse sentido, nenhum negócio disruptivo — nem o meu, nem o seu — pode ficar parado. É uma agenda ativa de construção de valor para a organização que garante a você enxergar oportunidades acima da nuvem de fumaça dos incêndios de todo dia. Sem esse olhar, o que antes começou como pioneiro e largou na frente, corre o risco de ficar para trás.

Endeavor recomenda a leitura deste post

< !DOCTYPE html>